Projeto de lei foi aprovado na Câmara dos Deputados e será votado no Senado Federal

     

O ITEGO em Artes Basileu França, instituto vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Inovação (SEDI), realiza, por meio do projeto “Conecta – Compartilhando Saberes”, a live “Lei de Emergência Cultural – perspectivas”, nesta quarta-feira (03), às 19h. O evento virtual será transmitido pelo Instagram (@itegobasileuartes).

O “Conecta” visa contribuir com a compreensão da Lei de Emergência Cultural. Dessa forma, conta com a participação de profissionais que estão se atualizando e que trarão informações e esclarecimentos pertinentes sobre o Projeto de Lei 1075/2020, batizado de Lei Aldir Blanc (compositor e escritor que morreu vítima da COVID-19). O Projeto de Lei dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural a serem adotadas durante o estado de calamidade pública, reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020.

Nesta edição, portanto, participarão o gestor cultural Constantino Isidoro, a diretora executiva do Festival Amazonas de Ópera, Flávia Furtado, e o ator, diretor de Teatro e Cinema e produtor, Norval Berbari.

No âmbito cultural, as complexidades que envolvem os artistas são diversas. Mas, com a pandemia provocada pelo novo coronavírus, uma triste história passou a acrescentar mais dificuldades à classe.

        Nesse sentido, muitas campanhas foram lançadas a fim de prestar assistência ao setor artístico, que teve, se não em sua totalidade, grande parte de suas atividades paralisadas. Com isso, a geração de renda de muitas famílias está comprometida, o que afeta inclusive o emocional dessas pessoas.

             Com as diversas problemáticas que envolvem o ser humano nas atuais circunstâncias, é importante salientar que a classe artística possui indubitável relevância para a sociedade como um todo. Isso porque a Arte proporciona o entendimento, a descoberta e o entusiasmo entre outras importantes formas de interagir com o indivíduo ou com a coletividade.

Sobre os convidados

Constantino Isidoro Filho

Mestre em Arte – Teatro pela Universidade Federal de Brasília-UnB (2011) e graduado em Artes Cênicas também pela UnB (1999). É professor de Teatro do Instituto Federal de Goiás (IFG). Diretor Artístico da Anthropos Companhia de Arte. Tem experiência na área de Gestão Cultural e em Teatro, com ênfase em Direção Teatral, atuando principalmente nos seguintes temas: interpretação e pedagogia teatral.

 

 

 

Flávia Furtado

Pianista por formação, estudou no Brasil com Linda Bustani e na Bélgica com Heidi Hendricks. Mais tarde, formou-se em Comércio Exterior e, desde então, vem gerindo e desenvolvendo trabalhos com a economia da cultura em diversos âmbitos, junto ao Fórum Brasileiro pelos Direitos Culturais, a Ópera Latinoamérica e o Festival Amazonas de Ópera. Neste ano, foi uma das dez finalistas ao prêmio Classical Next – Innovation Award, pelo seu trabalho em divulgar todos os aspectos econômicos e sociais da indústria da ópera no Brasil.

 

Norval Berbari

Ator de Teatro desde 1989, produtor de espetáculos teatrais, diretor de Teatro e ator de Cinema, Séries e Comerciais de TV. Principais espetáculos teatrais em que atuou: “Liberté Uái”, com o Grupo Arte e Fatos da UCG, em 1989; “Cabaré Goiano”, com a Cia Martim Cererê; “Sob o Sol de Canudos”, com o Grupo Arte e Fatos da UCG, entre outros. Espetáculos teatrais que dirigiu: “AS TIAS – A Comedia”, da Sem Nome Cia Teatro, 1999; “O VELÓRIO”, de Hugo Zorzetti e outros. Espetáculos teatrais que produziu: “As Tias – A Comédia; “O VELÓRIO”; “Romeu e Isolda, entre outros.

 

 

Sobre o ITEGO em Artes Basileu França

O Instituto Tecnológico de Goiás (ITEGO) em Artes Basileu França, vinculado à Secretaria Estadual de Desenvolvimento e Inovação (SEDI), teve origem em 1967, na Escola de Artes Veiga Valle. A instituição possui como missão oferecer capacitação artística, desde o início até a formação superior, nas seguintes áreas: Arte Educação, Arte Inclusão, Artes Visuais, Circo, Dança, Música, Superior de Tecnologia em Produção Cênica e Teatro. Atualmente, diversos grupos da Escola de Arte são reconhecidos nacional e internacionalmente, como o Balé do Teatro-Escola Basileu França, a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás (OSJG), dentre outros.