Nos dias 18, 19, 21 e 22 de maio, o projeto “Lives Musicais” conta com a participação de músicos de destaque internacional  

A Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás (OSJG), uma iniciativa do ITEGO em Artes Basileu França, Instituto vinculado à Secretaria de Desenvolvimento e Inovação (SEDI), realiza, nos dias 18, 19, 21 e 22 de maio, às 19h, mais quatro lives do projeto “Lives Musicais”. As apresentações online poderão ser acompanhadas pelo Instagram da Orquestra – @orquestrasinfonicajovemdegoias.

 Nesta edição o projeto conta com a participação de convidados especiais, como o trompetista Erick Venditte, a harpista russa Liuba Klevtsova, o clarinetista e solista internacional Vitor Fernandes e o percussionista Douglas Gutjahr. Essas lives têm o objetivo de proporcionar um valioso bate-papo sobre carreira, estudos e oportunidades para jovens músicos.

Confira o cronograma:

Erick Venditte: 18/05

Liuba Klevtsova: 19/05

Vitor Fernandes: 21/05 (excepcionalmente, às 15h)

Douglas Gutjahr: 22/05

 

Sobre os músicos

Erick Venditte

Natural de Guarulhos (SP), iniciou os estudos de trompete aos 5 anos de idade. Aos 13, foi aprovado como bolsista da Banda Sinfônica Jovem do Estado de são Paulo, passando a integrar, no mesmo ano, o naipe de trompetes da Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo. Tornou-se o trompetista brasileiro mais jovem a vencer um concurso internacional, quando venceu o II Concurso Latino-Americano de Trompete – Eric Aubier, na categoria juvenil, em Bogotá (Colômbia), em abril de 2017. Foi vencedor, ainda, de diversos prêmios, como: III Concurso para Solista com Orquestra de Cordas da EMESP (2º ciclo), em 2017; Jovens Solistas 2018 da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo; 49º Festival de Inverno de Campos do Jordão, com o prêmio Eleazar de Carvalho; Ictus International Trumpet Competition (categoria 14-18 anos); Temporada 2018 do Programa Prelúdio, da TV Cultura; e do prêmio Bolsista de Maior destaque da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, em 2019.

 

Liuba Klevtsova

Nascida em Moscou (Rússia), começou a estudar harpa aos 7 anos de idade e, aos 15, entrou para o Colégio de Música do Conservatório Tchaikovsky de Moscou. Iniciou o trabalho de docente na Escola Municipal de Música de Moscou e intensificou seu trabalho como solista nas principais salas de concerto da Rússia. Em 1995, ingressou no Conservatório Tchaikovsky de Moscou. Em 1997, foi diplomada no Concurso Internacional de Música de Moscou e, no ano seguinte, tornou-se professora oficial do Colégio de Música Elektrostal. Após sua formação acadêmica no ano de 2000, passou a integrar a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo como harpista convidada e, a partir de 2001, como Harpista principal, posição que ocupa atualmente. Em 2006, foi convidada para reimplantar o curso de harpa do Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, de Tatuí (SP). Conquistou o 1º Prêmio no II Concurso Moscovita de Jovens Harpistas. Atua também como professora em importantes festivais de música do País, como o Festival de Inverno de Campos do Jordão (SP), Curso Internacional de Verão de Brasília, Festival de Música SESC (RS) e como solista nas principais orquestras do Brasil, além de ser professora da Academia da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP).

 

Vitor Fernandes

Natural de São João da Madeira (Portugal), é clarinetista e solista internacional. Ganhou o primeiro prêmio da 4º edição do Ghent International Clarinet Competition, na Bélgica (o maior concurso de clarineta da atualidade), e o segundo lugar no Concours de Genève. Vítor participou do concurso internacional da Haute École de Musique, de Genebra, e, no concerto final ele foi solista com a Filarmônica de Bruxelas, dirigida pelo maestro português e também clarinetista António Saiote. Além disso, foi convidado a integrar a London Symphony Orchestra como clarinetista por um período de dois anos, segundo a escola de Genebra que frequenta.

 

Douglas Gutjahr

 Nascido em Jaraguá do Sul (SC), é Bacharel em Percussão pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM. Entre os anos de 2001 e 2010, integrou o Grupo de Percussão da UFSM, o Quarteto de Percussão Íncubos, a Orquestra Sinfônica de Santa Maria e a Orquestra Filarmônica da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).  Nos anos de 2007 e 2008 foi membro da Orquestra Jovem Mundial (JMWO), se apresentando em algumas das principais salas de concerto da Europa, entre elas, Berliner Philharmonie (Berlim), Muziekgebouw (Amsterdam) e Palau de les Arts (Valência). Lançou seu primeiro CD/DVD intitulado Brasil (Re)Percussivo em 2015, trabalho que lhe rendeu o prêmio de Melhor Instrumentista Erudito no Prêmio Açorianos de Música, em 2016. Visando a inclusão social por meio da música e a formação de novos músicos, desenvolve, desde 2009, um intenso trabalho de ensino da percussão junto ao projeto Vida com Arte (Unisinos). Desde 2010 atua como professor do Festival Internacional SESC de Música, realizado em Pelotas (RS). Ocupa o cargo de Timpanista Solo da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (OSPA) e atua como timpanista/percussionista da UCS Orquestra. Tem atuado intensamente como percussionista nas mais variadas formações e participado efetivamente em importantes gravações no Estado do Rio Grande do Sul.

 

Sobre a Orquestra

A Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás (OSJG), ligada ao ITEGO em Artes Basileu França, foi fundada em 2001, com o objetivo de formar jovens músicos com capacidade para atuar, profissionalmente, em orquestras nacionais e internacionais.
A Orquestra é contemplada com o Bolsa Artista, um programa criado pelo Governo Estadual, a fim de garantir aos jovens o acesso à educação, cultura e inclusão social.
O grupo musical é um dos principais do país, sendo reconhecido, inclusive, em diversos locais do mundo, por meio de turnês internacionais.